Brasão da Diocese

DESCRIÇÃO HERÁLDICA

Resumo: Escudo nas cores verde e azul, contendo quatro símbolos que representam a realidade da Diocese: A Palavra de Deus e a Eucaristia; um rio e enxadas, cachos de uvas em sua parreira e o M de Maria. Ao centro uma cruz dourada estilizada. Abaixo a faixa dourada, com a inscrição: Diocese de Itapetininga

Insígnias: Possui na parte superior as insígnias corporativas próprias de uma Diocese, a mitra ornada, o báculo pastoral e a cruz episcopal. Símbolos do anúncio do Evangelho e da doação do Bispo para com seu rebanho.

Simbolismos:

 Escudo: A cor verde que remete aos campos de pastagens (pastoreio) e os verdes campos bastante significativos nos municípios da Diocese com toda sua variedade de produção agrícola e também pecuária.

O azul nos recorda Maria, nossa Padroeira e também umas das riquezas de nossa região que são a abundancia das águas presentes em quase todos os municípios, através dos rios, nascentes, cachoeiras e a grande bacia hidrográfica do Paranapanema.

Cruz dourada estilizada: A cruz dourada ao centro do escudo é a mesma cruz que compõe o Brasão do Santo Padre São João Paulo II. Homenagem a ele por ter criado a Diocese de Itapetininga em 1.998.

Sagrada Escritura e Eucaristia: Dois símbolos que manifestam a fé do povo na Palavra de Deus que orienta nossa caminhada e a Eucaristia que nos sustenta no caminhar.

Rio e enxadas: retrata os dois principais e extensos rios que perpassam nosso território diocesano: Os Rios Itapetininga e Paranapanema. Além dos demais rios que margeiam e servem até de divisas territoriais entre os municípios. As enxadas simbolizam a origem agrícola dos Municípios ainda hoje é muito forte na região, lembrando tantos trabalhadores que cultivam a terra em suas lavouras, retirando dela seus frutos para seu sustento e o desenvolvimento econômico dos municípios.

Uva e a videira: Símbolos bíblicos que comunicam a nossa comunhão com Cristo e o Pai. No Antigo Testamento a imagem da videira indicava o povo de Israel (Is 5, 1-2).

No Novo Testamento Jesus é a videira, a verdadeira: “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor.” Jo 15,1 “Eu sou a videira e vós sois os ramos.” Jo 15, 5

 Expressam a comunhão, pois somos parte de Jesus. Jesus é o todo. Para que um ramo possa produzir frutos (Uvas), deve estar unido a videira. Só assim consegue receber a seiva. “Todo aquele que permanece em mim e eu nele, esse produz fruto, porque sem mim nada podeis fazer!” Jo 15, 5

Também nos lembra da missão: “Eu vos enviei para ir e dar fruto, e para que o fruto de vocês permaneça.” Jo 15, 16b e como missionários queremos incentivar a multiplicação das comunidades que integram nossas paróquias.

M de Maria: Recorda a Padroeira desta Diocese, Nossa Senhora dos Prazeres e o “M” estilizado do brasão do Santo Padre São João Paulo II, Homenagem da Diocese a este grande pastor e santo da nossa Igreja, responsável pela aprovação da Diocese de Itapetininga.