Rádio Conexão Católica

Dom Gorgônio em homilia: “com este Ministério, Leonardo se torna Proclamador da Palavra”

“A Palavra de Deus é a base da nossa vida. A Palavra tem uma força em si, ela carrega um potencial que comunica a vida, que nos transforma, que nos faz frutificar no amor e no bem, que nos dá sabedoria”, afirmou Dom Gorgônio nesta última terça-feira (9/08). A homilia foi dirigida aos seminaristas e a toda assembleia que participou da Missa de instituição do Ministério de Leitor e Acólito concedido ao Seminarista Leonardo Mendes Soncin, na Capela do Seminário Diocesano São João Paulo II.

A celebração contou com a presença dos familiares de Leonardo além de outros seminaristas, paroquianos, os Padres Gracélio de Almeida Tavares, Narciso Iori, o reitor do Seminário Pe. Marco Antonio Custódio e diáconos.

MinistérioLeitorAcólito-SeminaristaLeonardo_fotoWilliamFurtado (22)Dirigindo ao povo de Deus, o bispo falou da importância deste ministério na vida dos vocacionados ao sacerdócio. “O ministro de Deus – seja como Diácono ou como Sacerdote – ele é ministro da Palavra. Homem da Palavra e portador desta, ele tem que viver essa dimensão profética. Então, é importante que o discípulo de Jesus, o ministro seja um homem da Palavra. Por isso, Leonardo recebeu hoje, aqui, o Ministério do Leitorado para ser realmente este proclamador da Palavra de Deus”, esclareceu.

Ao encerrar, Dom Gorgônio pediu as orações de todos pelos vocacionados, pelo Seminário e por todos os jovens, para que eles possam responder com alegria ao chamado para esta missão.

 

Leia a homilia na íntegra:

É importante que nós, nesse processo formativo, possamos celebrar esses momentos significativos à vida das pessoas que vão se aproximando do seu Ministério Sacerdotal. Antes de chegar à Ordenação Presbiteral ou Diaconal nós temos, então, também esses Ministérios que são básicos na nossa vida e caminhada, o Ministério da Palavra e da Liturgia – Leitorato e Acolitato. A Palavra de Deus é a base da nossa vida. Deus no Seu amor quer o nosso bem. Esse Deus nos comunica, Ele toma a iniciativa e dirige a Sua palavra para nos orientar, nos iluminar, para formar o nosso coração e a nossa consciência, para que nós possamos viver em sintonia com Deus, para que tenhamos sabedoria em nossa vida. Para que possamos viver os valores humanos e cristãos, possamos viver como filhos e filhas amados de Deus e possamos viver como irmãos na grande família que é o povo de Deus. Ele nos dirige a sua Palavra.

Deus outrora, falou aos nossos antepassados no antigo Testamento através dos profetas, de tantos modos, acontecimentos, mas na plenitude dos tempos nos falou, pessoalmente, em Jesus Cristo. <<A Palavra se fez carne e habitou entre nós>>. Palavra de Deus que veio ao nosso encontro, manifestada nas atitudes de Cristo, na sua vida, gestos, palavras, no seu amor, em sua vida doada. Ali, Deus pronunciou a Sua Palavra para que nós, acolhendo Jesus, acolhendo a Sua Palavra, seguindo o caminho do amor, pudéssemos então viver em plenitude, alcançar esta plenitude da vida. A palavra de Deus, cantava o salmista, <<é mais doce como o mel, mais preciosa que o ouro e a prata, mais valiosa que a nossa vida>>. Como dizia o profeta Isaías <<a Palavra de Deus é como a chuva e a neve, caindo sobre a terra, não volta sem tê-la fecundado, frutifica-a>>. A Palavra de Deus tem uma força em si, ela carrega um potencial que comunica a vida, que nos transforma, que nos faz frutificar no amor e no bem, que nos dá sabedoria. Jesus falou da Palavra de Deus como a semente que lançada no terreno bom produz frutos em abundância, falou que esta Palavra de Deus nos é dada, mas depende de como nós a acolhemos para que, em nós, ela possa frutificar.

 O ministro de Deus – seja como Diácono ou como Sacerdote – ele é ministro da Palavra. Homem da Palavra e portador desta, ele tem que viver essa dimensão profética. Quem que se alimenta da Palavra? Primeiro, é o discípulo que se alimenta da Palavra. A primeira coisa que deve ser é discípulo porque é a Palavra que nos forma, que nos capacita, que nos dá identidade, que nos faz instrumento de Deus. Então primeiro acolher e ter gosto pela Palavra, ser uma pessoa realmente entusiasta da Palavra, tem esse amor e se alimenta dela. Numa leitura desta semana, a Palavra falava da vocação do profeta Ezequiel. Ele tinha que ser porta-voz de Deus e, então, o anjo falou: ““come” a Palavra, se alimenta da Palavra e aí você vai ser mensageiro de Deus e vai poder anunciar um pouco aquilo que Deus tem a dizer”. Como é que vamos falar um pouco se a gente não ruminou a Palavra, não a meditou, se ela não se tornou vida na vida da gente.  Nós não podemos falar da boca para fora! Ela tem que ser assimilada, tem que se tornar vida na vida da gente, palavra vivida, testemunhada e anunciada, acolhida.

E assim, vamos nos identificando com a Palavra que anunciamos. Vamos anunciá-la pela vida, pelas atitudes e pela Palavra. Ela vai se expressar também na nossa vida. Então, temos que ser discípulos da palavra, pessoas que se alimentam dela, que tem gosto, que medita, que faz a leitura orante diariamente e que mergulham nesta Palavra de Deus. E assim, ela vai nos falando, nos capacitando e nos fazendo semelhantes a Jesus. E o discípulo se faz missionário, anunciador e testemunha da Palavra, comunicador da Palavra. Quem se alimentou da Palavra não vai ficar parado, não vai ficar quieto, se torna missionário. Essa Palavra, ela nos impulsiona. Quem viveu, comunica. Quem experimentou a alegria dessa Palavra vai anunciar. <<Ide pelo mundo inteiro, anunciai o Evangelho a toda criatura>>. Assim, Jesus enviou seus discípulos. São Paulo dizia <<Ai de mim se eu não evangelizar!>>. O profeta Jeremias também já dizia <<Como calar se Tua voz arde em meu peito, grita dentro de mim, como calar?>>. A Palavra realmente se torna uma força de comunicação. O discípulo se faz missionário, mas o missionário precisa ser discípulo. Senão não vai ser missionário de nada. O discípulo missionário escuta a palavra, se alimenta dela e é iluminado por esta Palavra para levar esta mensagem, para viver a dimensão profética.

Então, é importante que o discípulo de Jesus, o ministro – seja diácono ou sacerdote – seja um homem da Palavra. Por isso o Seminarista Leonardo recebeu hoje aqui o Ministério do Leitorado para ser realmente este proclamador da Palavra de Deus. No segundo momento ele vai receber o Ministério do Acolitato que é ligado a Liturgia e é, realmente, aquele que ajuda na celebração, é o Acólito, é aquele que ajuda as pessoas a participar desse mistério do Cristo que dá a vida por nós, e a unirmo-nos a esse mistério que se oferece pela nossa redenção e nos alimenta com a sua vida, a sua Palavra, e que nos une nessa comunhão.

E o que é levar as pessoas a esta comunhão? É levar as pessoas a poder participar, celebrar ativamente desse mistério da Eucaristia de maneira especial. Então este ministério do qual o Leonardo está ligado a esta liturgia, de maneira especial, na Eucaristia como servidor do altar, como aquele que ajuda a celebrar este mistério da redenção, da Eucaristia. Depois, nós teremos aqui hoje os candidatos ao Diaconato que vão receber o Sacramento da Ordem no dia 19 de agosto, no grau de Diácono. Eles serão admitidos à ordem sacra. É um rito que mostra que eles estão com desejo de ter o Sacramento da Ordem e estão dispostos a viver este Ministério do Sacramento da Ordem, o grau de Diácono que lhes prepara para o Sacramento da Ordem no grau de Presbíteros. Então, o grau de Diácono faz parte dessa caminhada para viver o seu sacerdócio futuramente.

Que Deus abençoe todos eles, este Seminário, esta formação que prepara os jovens essa resposta alegre, generosa ao plano de Deus e preparando-os para ser instrumento de Deus em favor do nosso povo. Contamos a oração de povo e somos gratos a todos aqueles que se unem nesta missão, pelo apoio e colaboração na formação dos ministros de Deus.

Fotos: Diocese de Itapetininga/William Furtado