FRANCISCO PEDE VALORIZAÇÃO FEMININA AO RECEBER GRUPO ESCOTISTA

Em um mundo no qual se difundem ideologias contrárias à natureza e ao desenho de Deus sobre a família e o matrimônio, “é muito importante que a mulher seja adequadamente valorizada” para que “possa tomar plenamente o lugar que lhe cabe, seja na Igreja assim como na sociedade”.

Palavras do Papa ao receber na manhã desta sexta-feira (26), representantes da Conferência internacional católica de “guidismo”(escoteiras), em Roma para o encontro mundial.

Recordando que as guias ocupam um lugar peculiar entre os movimentos educativos, de longa tradição pedagógica amplamente experimentada, Francisco reiterou que “a educação é um meio imprescindível para dar às meninas a possibilidade de se transformarem em mulheres ativas e responsáveis, orgulhosas e felizes da sua fé em Cristo”.

Abertura ao próximo

Ao destacar que é tradição no movimento católico das guias manter o encontro com Cristo para se abrir com alegria e generosidade às necessidades do próximo, o Pontífice convidou todas as presentes a “conservar e desenvolver ainda mais esta preciosa herança”.

Educação à ecologia

Por fim, o Papa citou a sua recente Encíclica Laudato si, na qual afirmou que a educação à ecologia é essencial para transformar as mentalidades e os hábitos para que se superem os inquietantes desafios que se colocam à humanidade diante do ambiente.

Neste sentido, Francisco traçou um paralelo com o movimento cuja pedagogia atribui um importante valor ao contato das meninas e jovens com a natureza. “Auspicio que as guias continuem a estarem prontas para acolher a presença e a bondade do Criador na beleza do mundo que as circunda”.

História

A Conferência internacional católica de “guidismo” nasceu em 1965 por iniciativa da Associação Mundial de Guias. Os primeiros encontros entre os responsáveis católicos das bandeirantes em diversos países remontam ao ano de 1948. Em 1977 é adotada a Carta católica do “guidismo”. Já reconhecida pela Santa Sé, a Conferência Internacional é confirmada enquanto associação internacional de fieis pelo Pontifício Conselho para os Leigos em 2009. Na América do Sul, a associação está presente na Argentina e na Colômbia.