Rádio Conexão Católica

A origem da devoção a Nossa Senhora Desatadora dos Nós

“Desatadora – la Virgen que el Papa Francisco convirtió en fenómeno de fe” (“Desatadora – a Virgem que o Papa Francisco transformou em fenômeno de fé”) é o título do livro do jornalista argentino Eduardo Mattos, que conta como uma antiga imagem da Virgem Maria – que decora a parede de uma igreja na Alemanha – passou a figurar entre uma das mais conhecidas representações da Mãe de Deus, por obra de Jorge Mario Bergoglio.

A obra exigiu longas horas de pesquisa. Por dois anos, Mattos passou seus dias tentando desvendar a origem da devoção à Desatadora.

“Nossa Senhora tem – estima-se – mais de dois mil títulos, a maior parte deles originados de aparições ou de sua intervenção em acontecimentos”, recordou o autor, citando a Virgem de Fátima, que apareceu a três pastorzinhos em Portugal, e a Virgem Auxiliadora, invocada  pela primeira vez no Século XVI, durante uma batalha naval entre católicos e muçulmanos.

“Quando me interessei pela Desatadora – revela – percebi que não havia nem uma coisa nem outra em relação a ela; foi o que me estimulou a descobrir a origem da devoção”.

Ao iniciar sua pesquisa, o autor acabou descobrindo aquela que define como uma das mais bonitas histórias que conhece:

“A devoção à Desatadora desabrochou nas mãos do Padre Jorge Mario Bergoglio na segunda metade dos anos 1980, quando ele vivia em Buenos Aires e era pouco conhecido fora de sua Congregação, a Companhia de Jesus. Ele recebeu um cartão postal, um souvenir destes que se vendem em museus, que era a reprodução de uma obra de arte, o retrato de Maria desatando nós de uma corda”, contou.

Segundo Mattos, quando viu a pequena imagem, teve uma inspiração: “Não há nada que resista às mãos da Mãe de Deus. Basta ter fé”.

O livro narra também como a devoção à Desatadora, depois de repercutir na Argentina, chegou a solo brasileiro, inicialmente em Búzios, região dos Lagos, no Rio de Janeiro, e posteriormente em Campinas, interior de São Paulo.

“O livro traz a história de pessoas que tem a fé como um dos principais pilares de suas vidas” – ressaltou o autor – que é jornalista há quarenta anos.

Ademais, a publicação traz um encarte de 16 páginas com fotos coloridas de lugares dedicados à Santa e de personagens que possuem histórias relacionadas com esta devoção.