Rádio Conexão Católica

Após dois anos, tapetes de Corpus Christi voltam a enfeitar as ruas

 

 

FoNa última quinta-feira (16), a Igreja celebrou a Solenidade de Corpus Christi. Após um período de dois anos, devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19, as paróquias da Diocese voltaram a confeccionar os tradicionais tapetes feitos de serragem por onde passou a procissão com o Santíssimo Sacramento.

Em toda a Diocese de Itapetininga, as celebrações reuniu centenas de fiéis que participaram com muita alegria, fé e devoção. O Bispo Diocesano, Dom Gorgônio, presidiu a Santa Missa na cidade de Tatuí pela manhã e a tarde na Catedral Nossa Senhora dos Prazeres em Itapetininga.  As duas celebrações uniu todas as Paróquias da cidade.

Em Pilar do Sul, a Paróquia Nossa Senhora do Pilar e Paróquia Bom Jesus do Bom Fim também se uniram para celebrar a Solenidade. A Santa Missa foi realizada no Ginásio de Esportes.

História de Corpus Christi

A festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV, no dia 8 de setembro de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.  

“Mas a data da Solenidade de Corpus Christi surgiu quando a Igreja se deu conta de que era necessário que os fiéis sentissem a presença real de Jesus Cristo na hóstia santa. Entre as possíveis origens para a solenidade de Corpus Christi está a história de um sacerdote chamado Pedro de Praga, que questionava a presença real de Jesus Cristo na hóstia consagrada. Ele decidiu ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o dom da fé. Quando celebrava a eucaristia, no entanto, no momento da consagração a resposta veio como um milagre, a hóstia branca tornou-se carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, o sanguíneo e a toalha do altar. Diante desse fato, o Papa Urbano IV pediu que os objetos “milagrosos” fossem para Oviedo, na Espanha, em solene procissão, que foi a primeira com sinais de Eucaristia”.

Basílica de São Miguel Arcanjo / Foto: Pascom Basílica SMA

A procissão

A procissão de Corpus Christi lembra a caminhada do povo de Deus, rumo à terra prometida, com a arca da aliança à frente, que hoje para os católicos é o Santíssimo Sacramento. O Antigo Testamento diz que o povo peregrino foi alimentado com maná, no deserto. Com a instituição da Eucaristia, o povo é alimentado com o próprio corpo de Cristo. O maná só saciava a fome naquele momento, o Corpo de Cristo sacia até a vida eterna.

Corpus Christi em Pilar do Sul / Foto: Juliana Ferreira

O Corpo de Cristo

O dia de Corpus Christi é uma oportunidade para os cristãos celebrarem um dos sacramentos que fundamentam a fé católica, a Eucaristia. A expressão Corpus Christi vem do latim e quer dizer Corpo de Cristo.  Muito mais do que a ocasião das famosas procissões pelos “tapetes”, a data é um convite à reflexão sobre a obra que Jesus Cristo nos deixou. 

A celebração eucarística, é um “banquete” em que somos convidados a entrar e sentar para partilhar o alimento que é oferecido e que tenhamos sempre a Eucaristia como nosso alimento.