Capítulo das Esteiras: Justiça é expressão de misericórdia

Com uma celebração eucarística, encerrou-se domingo (06/08) em Aparecida o Capítulo das Esteiras, em que a Conferência da Família Franciscana do Brasil comemorou 800 anos do Perdão de Assis, o Jubileu de Ouro e os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Desde o dia 3, o evento reuniu frades, irmãs Clarissas, a Ordem Franciscana Secular (OFS), a Juventude Franciscana (Jufra), irmãs e irmãos da Terceira Ordem Regular (TOR), Congregações e Movimentos Francisclarianos e simpatizantes de Francisco e Clara.

Frei Éderson Queiroz, Presidente da CFFB, passou para os capitulares a sua última mensagem, de indignação pela atual situação do país e, ao mesmo tempo, os animou  a não se acomodarem e a terem esperança.

“É chegado o momento de recolhermos nossas esteiras e as lançarmos sobre o chão das periferias do mundo, transformando continuamente nossa maneira de Ser, Estar e Consumir em resposta aos apelos do Papa Francisco. A realidade ecológica e sócio-política-econômica do nosso país nos exige compromisso profético de denúncia e anúncio”, pede a Carta de Aparecida.

Em entrevista exclusiva à Rádio Vaticano, Frei Éderson afirma que “nestes tempos em que o Brasil atravessa uma crise política, econômica e institucional, onde há um processo de exclusão dos mais pobres e vulneráveis e o poder político é exercido por uma minoria de abastados, a misericórdia se revela como indignação”.

“A justiça é uma das mais belas expressões da misericórdia”, conclui.

Ouça aqui parte da entrevista do Presidente da CFFB: