CARDEAL TAURAN EM RIMINI: A RELIGIÃO NÃO DIVIDE E NÃO GERA VIOLÊNCIA

“A religião não divide e não gera violência”: eis a mensagem do Cardeal Jean-Louis Tauran, Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, na inauguração, na tarde desta quinta-feira (20), em Rimini, centro-oeste da Itália, do tradicional Encontro de Amizade entre os Povos, promovido pelo Movimento “Comunhão e Libertação”.

Juntamente com expoentes do Islamismo, o rabino Haim Korsia, e do Judaísmo, prof. Azzedine Gaci, o Cardeal Tauran recorda que “as religiões não devem ser um problema, mas parte da sua solução, em um mundo ferido pelo fundamentalismo e aterrorizado por atentados, perpetrados por uma minoria anônima.

Os três expoentes das grandes religiões monoteístas afirmam seu “não” decidido aos sectarismos e às deviações e seu “sim” ao respeito da dignidade humana e a uma responsabilidade sempre maior dos guias espirituais.

O Cardeal Tauran, por sua vez, frisa que “a tolerância é um termo que implica a ideia de aceitação e não de partilha”. É preciso dar um passo adiante, afirma, acatando a existência do outro como condição essencial da própria existência. Eis a prova que enriquece a vida de um ser humano.

Vivemos em um mundo muito paradoxal, conclui o Cardeal francês: de um lado, alguns proclamam a morte de Deus e a não necessidade de Deus; de outro, nunca se ouviu falar tanto de Deus, como em nossos dias. “Cristãos, Judeus e Muçulmanos devem acolher três desafios: a identidade da nossa fé; o altruísmo com os irmãos das outras religiões; enfim, sinceridade nas nossas intenções. O diálogo inter-religioso deve favorecer a conversão, o diálogo e a verdade”!