Rádio Conexão Católica

“CRISTÃO TEM DIREITO E DEVER DE PARTICIPAR DA VIDA POLÍTICA”, DIZ D. GORGÔNIO

Desde o dia 6, os Bispos do Brasil estão reunidos na 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O tema central deste ano é “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da terra e luz do mundo”. Em mensagem ao programa “Fé Católica”, Dom Gorgônio falou que o “cristão tem o direito e o dever de participar da vida política” desde que o faça para o “bem comum da sociedade e tenha propostas para a sociedade como um todo”.

O Bispo esclareceu também que a Igreja não tem partido político e nem candidatos em seu nome, mas incentiva que cidadãos cristãos participem da política como forma de construir um mundo onde reinem os valores do Evangelho.

Leia a mensagem na íntegra abaixo:

“Uma das questões que estamos debatendo [na Assembleia Geral da CNBB] é sobre a participação ativa do leigo na Igreja e na sociedade, onde ele possa ser construtor de um mundo onde reine os valores cristãos, valores do Evangelho. Nós também queremos esclarecer que a Igreja não tem partido político, a Igreja busca o bem comum de todos. Os cristãos têm o direito e o dever de participar da vida política também através de partidos, mas, ninguém representa a Igreja ou está em nome dela. Está em nome da sua responsabilidade de cidadão. Um cidadão que é consciente como cristão e quer participar, quer construir. Ele não pode, vamos dizer, se apresentar como se fosse candidato da Igreja, que tem o apoio dela. Não. Ele vai ser alguém que busca o bem comum e deve ter propostas para a sociedade como um todo. A Igreja não precisa de representantes, a Igreja não precisa de gente que queira buscar vantagens para ela. De jeito nenhum, não precisamos disso.

A Igreja quer que todos busquem o bem comum. Preferimos um candidato que realmente busque o bem da sociedade do que um que se diz da Igreja, mas não tem uma atuação de quem busca o bem da sociedade, que não está comprometido com as realidades de nosso povo. Queremos gente comprometida com os pobres, com as realidades que o nosso povo enfrenta como o trabalho, a educação, a saúde, com o trabalhador rural, entre outras. Enfim, tantas situações que precisam ser iluminadas por decisões acertadas dentro do cenário político dentro da nossa cidade. É preciso, realmente, que a nossa cidade seja cada vez mais cheia de valores, de dignidade, que haja o benefício de todos, que haja a promoção do bem, da justiça, da paz e da dignidade de todos, onde todos possam ter atendidas suas necessidades básicas.

Queremos apoiar e incentivar essas pessoas que tem esse espírito de participação, de doação, de entrega, de serviço. Se estiverem movidos por esse espírito abnegado de querer fazer o bem, Deus seja louvado! E que as pessoas possam também, na hora de escolher seus candidatos, ter esse discernimento. Não é porque é meu parente, amigo ou porque me fez um favor, que merece meu voto. Mas sim porque é uma pessoa que tem uma responsabilidade, uma capacidade de desenvolver o bem dentro da nossa sociedade.

Que Deus abençoe a todos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!”

Foto: Arquivo/Diocese de Itapetininga/William Furtado