D. Gorgônio: “para Deus, todos estamos vivos”

Nesta segunda-feira (30/07), Dom Gorgônio presidiu a Missa de Corpo Presente de sua mãe, a Sra. Maria Conceição Nóbrega da Encarnação. Ela faleceu no domingo à noite, após um período em que esteve internada, em Fartura (SP). A celebração foi realizada na Paróquia Nossa Senhora das Dores, às 15h, na mesma cidade.

A Sra. Maria Conceição tinha 94 anos, era viúva do Sr. Januário da Encarnação há pouco mais de dois anos, deixou seis filhos, entre eles,  nosso bispo.

Em sua homilia, ao iniciar, Dom Gorgônio cumprimentou todos os presentes: seus irmãos, Dom Manoel Ferreira dos Santos MSC (bispo de Registro), os padres, diáconos e seminaristas da diocese de Itapetininga, sacerdotes da cidade, membros da comunidade local, amigos de sua família e demais familiares.

Ele ressalta que, ali, estava celebrando a Vida, a fé e a esperança em Cristo, pois a Sra. Maria Conceição era uma pessoa comprometida com o amor e a fé e, estava ali terminando sua caminhada terrena, cheia de alegrias, mas também de batalhas que ultrapassou, para iniciar agora a caminhada eterna.

O bispo manifestou ainda a sua gratidão a todos que oravam por ela e ao Ministro da Eucaristia, que durante todo período de tratamento de sua mãe, esteve comprometido em levar o Pão da Vida, sustento para a caminhada de todo cristão.

Agradecemos hoje a Deus pela caminhada de minha mãe, por seu testemunho de fé e, alimentada por Cristo, se unindo cada dia mais a Ele e, pôde caminhar com fé e, por Ele, no calvário pode ir até o fim e cumprir a sua missão”, afirma.

mãe de D. Gorgônio

Dom Gorgônio destacou que, para o Senhor, estamos todos vivos. “Nossa vida toda é uma entrega e, a cada dia, nos doamos um pouco mais. A morte é a entrega final e a Ele entregamos tudo. Frutificando os dons que recebemos para a missão não voltaremos para Ele de mãos vazias”.

Que Deus conceda a minha mãe a luz eterna, onde haverá alegria eterna e, que Nossa Senhora, de quem ela tinha um amor devotado, filial, possa recebê-la junto ao Pai. Amém”.

Após a comunhão, Dom Gorgônio fez a saudação final e a encomendação a Deus. A comunidade e os presentes se despediram. Logo após, em procissão, o sepultamento foi  realizado no cemitério da cidade.

Fotos: Assessoria de Comunicação/Diocese de Itapetininga