Rádio Conexão Católica

D. GORGÔNIO: “POR MEIO DA EUCARISTIA DEVEMOS ‘CRISTIFICAR’ A REALIDADE”

No terceiro e último dia do tríduo de Corpus Christi, Dom Gorgônio afirma que devemos, “por meio da Eucaristia, ‘cristificar’ nossa realidade”. Em sua última mensagem em reflexão sobre a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, ele fala das dimensões profética e social da Eucaristia. Ela é social porque – continua o Bispo – “transformados em Cristo nos tornamos transformadores da realidade” e profética, pois “o nosso compromisso com o bem das pessoas é decorrente da Eucaristia. O amor de Cristo nos impele, nos impulsiona para esta missão”.

Leia na íntegra a mensagem para o terceiro dia do Tríduo de Corpus Christi:

“Em preparação à Festa do Corpo e Sangue de Cristo, estamos refletindo sobre este mistério da Eucaristia. Queremos, hoje, refletir sobre a dimensão social e profética da Eucaristia. O próprio Jesus, assumindo a nossa humanidade se fazendo um de nós, assumiu toda a Criação, toda a realidade e, oferecendo-se por nós, Ele oferta a nossa realidade também. Nós, em Cristo, ao Pai. Todo o mundo, toda a Criação, todo o Cosmos é assumido por Cristo para que se transforme, em Cristo, como hino de louvor e glória ao Pai. A Eucaristia é um hino de louvor a Deus, é uma oração de ação de graças. Somos todos nós, em Cristo, ao Pai. É por isso, que na conclusão da Oração Eucarística dizemos: <<Por Cristo, Com Cristo, Em Cristo, a Vós Deus Pai todo-poderoso na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre. Amém!>>. E é o “Amém” mais importante da Missa. Porque nós somos tão frágeis, limitados, mas nós, em Cristo, fazemos a oferenda agradável. Em Cristo, prestamos a devida honra a Deus, a glória a Deus, em Cristo Jesus. Então, todo universo, toda a Criação, toda a nossa humanidade assumida em Cristo, e nós todos unidos a Ele louvamos ao Pai. Oferecemos o que há de melhor. Lá [na bíblia], no Antigo Testamento, as pessoas ofereciam animais para sacrifício de reparação e o próprio Jesus substituiu tudo. Ele ofereceu a Si mesmo. Todos os sacrifícios antigos, assim, são superados. A Eucaristia é o próprio Jesus que se oferece ao Pai e, nós, unidos n’Ele somos o corpo de Cristo. Nos unimos, em Cristo, ao Pai.

Então, essa dimensão cósmica da Eucaristia, desse hino de louvor, de gratidão a Deus é muito importante nós vivermos isso. É a melhor oração de ação de graças, a Eucaristia. Nós em Cristo ao Pai. E Deus vem a nós em Cristo, e nós em Cristo vamos ao Pai. Mas eu estava dizendo também que a Eucaristia tem também essa dimensão social, porque alimentados de Cristo, O levamos para nossa vida para transformar a realidade. Transformados em Cristo nos tornamos transformadores da realidade. Olha que bonito isso! Porque alimentados de Cristo, somos Cristo, somos o Corpo de Cristo, somos membros de Cristo e nós O levamos em nossa vida. Portanto, a nossa missão agora é transformar a nossa realidade, testemunhar esse amor de Cristo. “Cristificar” a realidade, o trabalho, a nossa família. Tudo vai ser cristificado, santificado pela presença de Deus em nós, porque levamos esse amor d’Ele em nós. Temos uma missão de construir o Reino de Deus, a missão de construir a comunhão fraterna, de promover a justiça, a paz e a vida. Tudo aquilo que Jesus veio realizar, nós assumimos na Eucaristia. Então temos essa missão transformadora, construtora da realidade, promotora da paz e, dessa forma, a Eucaristia tem essa dimensão social, transformadora da realidade na caridade, na solidariedade. Nós vamos levar esse amor de Deus. O nosso compromisso com o bem das pessoas é decorrente da Eucaristia. O amor de Cristo nos impele, nos impulsiona para esta missão. A Eucaristia é fonte desta missão, ela também tem uma dimensão profética nesse mundo egoísta, neste mundo ganancioso, competitivo, materialista. É “cada um para si e o resto que se dane”. A Eucaristia é o testemunho do amor-comunhão, do amor-serviço, do amor-doação, do amor-entrega, do amor da alegria de ser para o outro, de viver o amor. Essa doação comunhão de sermos irmãos e irmãs na mesa de Jesus e formarmos um só Corpo, em Cristo, alimentados do mesmo Pão. Então, a Eucaristia tem a dimensão profética. Em um mundo egoísta nós queremos celebrar a comunhão.

Que Deus nos ajude a viver a Eucaristia. Amém!”

Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, CR
Bispo Diocesano de Itapetininga

Foto: Arquivo/Diocese de Itapetininga/William Furtado