Rádio Conexão Católica

Dom Carlos aos sacerdotes: “No celibato, somos capacitados para amar a Deus e a toda criatura”

“O Sacerdote não é um homem solitário, ele recebe o Dom do Celibato e com este dom um coração capaz para amar a Deus e a todas as criaturas”, exorta Dom Carlos Lema Garcia, Bispo auxiliar de São Paulo. A colocação foi dita nesta terça-feira (05/07) aos Sacerdotes e Seminaristas (estudantes do 1º ao 4º ano de Teologia) presentes no retiro de espiritualidade do Clero da Diocese de Itapetininga. Dom Carlos que é também Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade ministra o retiro até esta quinta-feira (7/07) na Casa São José, em Sorocaba (SP).

Hoje, pela manhã, os Padres e seminaristas participaram da Santa Missa. À tarde, Dom Carlos abordará outros temas baseados no livro “O nome de Deus é misericórdia” e, à noite, todos celebrarão o Sacramento da Reconciliação.

Nas colocações desta terça (05), Dom Carlos enfatizou que “o sacerdote não foi chamado por Deus para ser funcionário da Igreja. Às vezes, se reduz a um mero cumprimento de regras e obrigações, porém, o Sacerdote foi chamado para Amar a Deus primeiramente, servir o seu povo e exercer seu ministério no Amor-Caridade!”. Além disso, o Bispo auxiliar tratou temas como a “misericórdia, a reconciliação, o celibato e a castidade, a busca pela santidade e o Presbítero como ministro e canal da Misericórdia de Deus”.

O nome de Deus é misericórdia

Considerado o primeiro livro do Papa Francisco, “O nome de Deus é Misericórdia” traz uma entrevista exclusiva concedida ao vaticanista Andrea Tornielli. Com palavras simples e diretas, o Papa Francisco dirige-se a todos os homens e mulheres do planeta, iniciando um diálogo íntimo e pessoal. Em cada página vibra o desejo de chegar a todas as almas – dentro e fora da Igreja – que procuram um sentido para a vida, um caminho de paz e de reconciliação, uma cura para as feridas físicas e espirituais.

Foto: Diocese de Itapetininga/Seminarista Jean Michel de Oliveira Campos