Rádio Conexão Católica

EM APARECIDA, BISPOS ABREM 53ª ASSEMBLEIA GERAL DA CNBB

Primeiro dia de trabalhos da 53ª Assembleia Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP). Os trabalhos têm início com a Santa Missa no Santuário Nacional presidida pela Presidência da CNBB: Presidente, o Arcebispo de Aparecida, Cardeal Raymundo Damasceno Assis; Vice-presidente, Arcebispo de São Luiz (MA), Dom José Belisário da Silva; e o Secretário geral, Bispo auxiliar de Brasília, Dom Leonardo Urich Steiner.

Após a Santa Missa na primeira sessão de trabalhos desta quarta-feira (15), haverá a apresentação dos bispos nomeados em 2015. Teremos ainda a apresentação do relatório das atividades da presidência no quadriênio 2011 – 2015 e avaliação do mesmo. Já a parte da tarde tem início com a coletiva de imprensa, às 15 horas. Assuntos que serão abordados: Diretrizes Gerais, Reforma Política e processo das eleições da CNBB. Presentes Dom Sérgio Rocha, Arcebispo de Brasília e Presidente da Comissão para o Tema Central; Dom Joaquim Giovanni Mol, Bispo auxiliar de Belo Horizonte e Presidente da Comissão para Acompanhamento da Reforma Política; e Dom Luiz Gonzaga Silva Pepeu, Arcebispo de Vitória da Conquista (BA).

No plenário os trabalhos serão retomados às 15h40, com a exposição da Conjuntura Social, com a participação do jurista e economista, ex-Ministro da Fazenda, Rubens Ricupero. Já a Conjuntura Eclesial será apresentada por Mons. Joel Portella Amado, do Rio de Janeiro.

Durante a 53ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que vai até o dia 24 de abril, os bispos atualizarão as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE). As orientações pastorais aprovadas em 2011 serão apenas revisadas a partir da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium e do pronunciamento do Papa Francisco aos bispos no Rio de Janeiro (RJ), em julho de 2013.

“As diretrizes gerais continuarão a inspirar o trabalho da Igreja nos próximos quatro anos, levando em consideração a atuação do Papa Francisco”, explicou o Arcebispo de São Luís (MA) e Vice-presidente da CNBB, Dom José Belisário da Silva.

O arcebispo afirma que as DGAE 2011-2015 foram bem acolhidas pelas comunidades do Brasil. “As pessoas realmente receberam com o coração muito aberto, e aquelas cinco urgências pegaram muito bem. Tanto assim que foi aprovado que essas diretrizes continuarão por mais quatro anos, porém com algumas revisões, inspiradas nos pronunciamentos do santo padre Francisco”, disse ele.

O Bispo auxiliar de Brasília (DF) e Secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, avalia a Assembleia Geral como momento de comunhão, de encontro, de alegria e de celebração da Igreja no Brasil.

Neste ano, além da atualização das DGAE, os bispos terão a missão de eleger a nova Presidência da entidade, composta pelo presidente, vice e secretário geral; os presidentes das doze comissões episcopais pastorais; além de delegados da CNBB para o Conselho Episcopal Latino Americano (Celam) e para a XIV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro deste ano, no Vaticano.

Na grade de atividades da 53ª AG, está previsto o debate sobre o novo texto que trata dos cristãos leigos e leigas, preparado após recebimento de sugestões e emendas pela comissão responsável. Aprovado em 2014, o texto de Estudos 107, Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da Terra e Luz do mundo, volta à pauta da reunião episcopal para nova avaliação.

O encontro anual do episcopado brasileiro  reúne mais de 400 bispos, entre cardeais, arcebispos, bispos auxiliares e eméritos, além dos que fazem parte das igrejas de Rito Oriental. No total, serão 274 circunscrições eclesiásticas representadas.