Rádio Conexão Católica

Famílias de Itapetininga ganham novo lar através do projeto “Mãos à obra”

Ser solidários é um ato de ter compaixão,  é olhar para o outro com mais generosidade e menos julgamento, ter a chance de perceber os próprios valores e refletir sobre o verdadeiro significado do  “fazer o bem“.

Pensando nisso, a Fundação Divina Providência de Itapetininga, através do projeto “Mãos à Obra”  , há mais de 20 anos vem ajudando e trazendo um novo sentido à vida de tantas famílias que necessitam de um apoio, uma palavra de conforto e um abrigo.

*Os nomes que vamos usar para contar as histórias a seguir são fictícios, mantendo assim a discrição e a identidade das famílias.

Neste último mês, duas famílias de Itapetininga ganharam um novo lar através do projeto. A primeira casa é da Senhora Sandra, mãe de dois filhos que após se separar do marido não tinha condições financeiras para pagar aluguel, onde teve que morar com sua mãe. Na pequena casa da mãe moravam 8 pessoas,  sendo o pai, a mãe, os três irmãos, Sandra  e seus dois filhos .

Segundo a Psicóloga e voluntária do projeto Drª Maria Inês, Sandra é faxineira e diz que jamais teria possibilidade de construir uma casa sem ajuda e apoio. Comovidos com a história, o projeto “Mãos à Obra” através de seus parceiros  construíram a nova casa que está localizada no bairro Ponte Alta.

Família de Sandra / Foto: Divulgação “Mãos à Obra”.

A segunda casa é do casal José e Maria, ambos de 25 anos e pais de 3 filhos, sendo um de  6 anos, 4 anos e um bebê de 5 meses. Em meio as dificuldades, resolveram pedir ajuda ao projeto para reformar a sua casa, e assim garantir uma  melhor qualidade de vida para toda família.

Maria cresceu próximo a Vila Palmeira, conhecida como Vila Alves, perdeu o pai quando tinha seis anos de idade, na qual a sua mãe teve que cuidar sozinha de Maria e mais quatro irmãos. José seu esposo, também nasceu no mesmo bairro e foi criado pelos pais e desde cedo teve que ajudar a família que vivia em dificuldades catando reciclagem no lixão da cidade. Aos 12 anos, José começou a vender doces e salgados de porta em porta para ajudar os pais nas despesas da casa.

José e Maria morava na Vila Palmeira, mas decidiram se mudar devido algumas atitudes aos arredores da casa, como barulhos excessivos e mau odor causado pelo uso de drogas da vizinhança. O casal foi morar em uma casa de dois cômodos quando Maria descobriu que estava grávida do seu terceiro filho.

O projeto “Mãos à Obra“, diante das dificuldades da família, reformou toda a casa do casal;  como a nova pintura, piso, troca das portas, conserto das rachaduras e contra piso em todo quintal.

Família de Maria e José contemplados pelo projeto/ Foto: Divulgação “Mãos à Obra”.

Para manter o projeto ativo, a Fundação tem o apoio dos padres da cidade de Itapetininga, que fazem suas doações mensalmente, e também de alguns contribuintes mensais e colaboradores que  doam cimentos e tijolos. Muita ajuda também vem de pessoas que reformam suas casas e que doam portas e janelas em bom estado. Existem algumas ONG’S que também apoiam e colaboram com esse propósito.

Para a Dra. Maria Inês , uma ajuda interessante seria as pessoas deixarem “em haver” materiais de construção em qualquer uma das lojas, assim o projeto vai retirando conforme as necessidades das obras.

Louvamos a Deus pela solidariedade de todos que contribuem com a entidade. Pedimos as bênçãos sobre todos que doam e se doam para manter esta obra viva, para que mais pessoas possam ser beneficiadas.

Seja um colaborador deste projeto: A Fundação Divina Providência está localizada na Rua José de Freitas, 292, Vila Piedade – Itapetininga/SP. Outras informações pelo telefone (15) 3271-8555 ou pelo email [email protected]

Acompanhe os trabalhos da Fundação da Divina Providência pelo Facebook: https://www.facebook.com/grupomaosaobradeitapetininga/

 

 

                                                                                                                                       Samuel Medeiros                                                                                                                             Comunicação Diocese