Rádio Conexão Católica

Francisco recorda Mama Antula, propagadora dos Exercícios Espirituais

No Angelus dominical, o Papa Francisco recordou da beatificação de sua conterrânea Irmã Maria Antonia de San José, realizada no sábado (28/08) em Santiago del Estero.

“Ontem, em Santiago del Estero, na Argentina, foi proclamada Beata Irmã Maria Antonia de San José; o povo a chama Mama Antula; que o seu exemplar testemunho cristão, especialmente o seu apostolado na promoção dos Exercícios Espirituais, possa despertar o desejo de aderir cada vez mais a Cristo e ao Evangelho”.

De fato, o Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, presidiu a cerimônia de beatificação, em nome do Papa, no Parque Aguirre de Santiago del Estero, ao norte da Argentina.

Em preparação prévia a esta Beatificação, a Igreja argentina promoveu algumas celebrações na Arquidiocese da capital, cujo ponto alto foi a Santa Missa de ação de graças por Mama Antula, assim chamada pelos indígenas “quechua”, presidida na catedral metropolitana pelo Cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Dom Mario Aurelio Poli.

Esta Beatificação tem relação íntima com a Canonização do “Cura Gaucho”, José Gabriel Brochero, que será realizada no Vaticano no próximo dia 16 de outubro. De fato, a vida destes dois argentinos é marcada por um profundo espírito missionário e pela confiança nos exercícios espirituais, propostos por Santo Inácio de Loyola, como método de conversão e de encontro com Deus. Mama Antula é considerada “a pessoa que abriu o caminho missionário, depois percorrido pelo Padre Brochero.

Antula e Brochero

Mama Antula e o Cura Brochero são duas figuras que representam a dimensão missionária da Igreja. O Cura, representado sobre uma mula, demonstra que a espiritualidade inaciana é baseada na ação. Mama Antula costumava dizer, sobre a sua missão, que exercia no mundo, que considerava lugar de graça: “Ide até aonde Deus não é conhecido”.

Com coragem e fé, – após a expulsão dos jesuítas das terras americanas pelo Rei da Espanha, – esta jovem mulher, de uma família rica de Santiago del Estero, se comprometeu em continuar a obra de evangelização e, sobretudo, a divulgar os exercícios espirituais inacianos.

Missão

Com o hábito preto dos Jesuítas, descalça e apenas com um crucifixo de madeira, junto com outras leigas, que como ela se consagraram a Deus, Mama Antula percorreu toda a região de Tucumán, hoje norte da Argentina, propagando os exercícios espirituais. Às vezes, era insultada, apedrejada, considerada “louca e bruxa” e acusada de ser “um jesuíta mascarado”. Mas Mama Antula continuou, com coragem e fé, a sua obra missionária.

Maria Antônia de Paz y Figueroa nasceu em Santiago del Estero, em 1730, e faleceu em 1779 na Casa de Exercícios Espirituais, que havia fundado em Buenos Aires.

Mensagem da Igreja

Em vista da Beatificação de Mama Antula, o Bispo de Cruz del Eje, publicou uma mensagem audiovisual, em nome dos Bispos argentinos, onde se lê:

“Com muita alegria estamos vivendo, na Igreja da Argentina, dois acontecimentos de muita importância: a Beatificação de Mama Antula e a próxima Canonização do Cura Brochero em Roma. Por isso, somos chamados a seguir o exemplo de santidade destas duas testemunhas do Evangelho, afim de anunciar “com entusiasmo a alegria da mensagem evangélica”, e trabalhar pela “promoção da dignidade dos nossos irmãos, que fazem parte integrante e fundamental da Palavra de Jesus”.