Gregoriana promove ciclo de lições sobre ‘Humanae vitae’

Em 1968 foram lançados “Introdução ao cristianismo”, de Joseph Ratzinger, “A Igreja e o segundo sexo”, de Mary Daly e “Sobre a teologia do mundo”, de Johann Baptist Metz, enquanto em Medellín, na Colômbia, reunia-se a I Conferência do Episcopado Latino-americano.

O vento da contestação soprou de Berkeley na Califórnia, em 1964, à Praga, influenciada por leituras como “A peste”, de Albert Camus, e “O homem unidimensional”, de Herbert  Marcuse, enquanto no Vietnã se travava a guerra e aumentavam as adesões pacifistas e a luta pelos direitos civis ao redor de Martin Luther King, que justamente em 1968 era assassinado.

Cinquenta anos após este período, o Centro Fé e Cultura “Alberto Hurtado”, da Pontifícia Universidade Gregoriana, organiza o ciclo de encontros públicos intitulado “1968-2018: por um balanço teológico sobre a Igreja e o mundo, para perguntar-se o que restou, o que acabou ou o que ainda deve ter o seu reconhecimento.

O primeiro encontro será realizado na terça-feira, 17 de outubro, às 18 horas, com o Prof. Pier Guenzi (Universidade Católica de Milão) e o jesuíta belga Jean-Louis Ska (Pontifício Instituto Bíblico), sobre o tema “Autoridade e Consciência”.

Depois será a vez de “Pais e Filhos”, em 19 de dezembro, “Revolução e Reforma”, em 16 de janeiro de 2018, “Fé e Igreja”, em 17 de abril de 2018.

Os encontros irão se alternar com alguns Fóruns mensais que permitirão aprofundar temáticas relacionadas.

50 anos da Humanae Vitae

1968 foi também o ano em que Paulo VI publicou a Encíclica Humanae Vitae. Preparando-se para este aniversário, a Faculdade de Ciências Sociais e o Departamento de Teologia Moral da Gregoriana querem refletir sobre a realidade da família, considerando as suas transformações, as suas necessidades e as suas esperanças, no respeito por todas as partes que a compõe.

Para tanto, promove o ciclo de nove lições públicas “O caminho da família 50 anos após a Humanae vitae”, com início na quinta-feira, 19 de outubro, às 17 horas, concluindo-se no dia 24 de maio de 2018.

Após as boas-vindas do Padre Jacquineau Azétsop, Decano da Faculdade de Ciências Sociais da Gregoriana, e a apresentação do curso público por parte dos docentes Emilia Palladino e Miguel Yáñez SJ, terá lugar a primeira lição, conduzida por Giuseppe Bonfrate (Departamento de Teologia Dogmática da Gregoriana).

O ciclo tratará de temáticas como as relações de casais e famílias (19 de novembro de 2017), Humanae Vitae e Amoris Laetitia (14 de dezembro de 2017), biotecnologias e controle da vida (11 de janeiro de 2018), mudanças demográficas e modelos de desenvolvimento (22 de fevereiro de 2018), a multiculturalidade (8 de março de 2018), as políticas sociais (12 de abril de 2018), o gênero (3 de maio de 2018), a vida humana (24 de maio de 2018).