Libertado sacerdote indiano sequestrado no Iêmen

O salesiano Pe. Tom Uzhunnalil S.D.B., sequestrado em 2016 em Áden, no Iêmen, foi libertado.

A Santa Sé – por meio de um comunicado divulgado no final da tarde de terça-feira –  agradece a todos que se empenharam pela sua libertação, “em particular, Sua Majestade o Sultão de Omã e as Autoridades competentes do Sultanato”.

“O religioso – revela a nota – será hóspede por alguns dias em uma comunidade salesiana em Roma, antes de retornar à Índia”.

A notícia de sua libertação já havia sido divulgada nesta terça-feira (12/09) pelo Vigário Apostólico do Sul da Arábia, Dom Paul Hinder. No site do vicariato lê-se que o bispo agradece a todos aqueles que se envolveram nos esforços pela libertação do sacerdote e a todos aqueles que no mundo rezaram incessantemente pela libertação de Pe. Tom.

Dom Hinder se reserva a dar mais informações. O Governo de Omã contribuiu de maneira decisiva na libertação do sacerdote.

Segundo informações de AsiaNews, Pe. Tom foi sequestrado em 4 de março de 2016, no lar para idosos das irmãs de Madre Teresa, em Áden. Durante o ataque morreram quatro religiosas e outras 12 pessoas.

Pe. Tom, de 57 anos, nasceu em Ramapuram, na Índia, numa família católica. O seu tio Mateus, salesiano, morto em 2015, foi o fundador da missão no Iêmen. No momento do sequestro, Pe. Tom se encontrava no Iêmen há 4 anos. Segundo informações do governo indiano, ele agora se encontra, em Omã, de onde será transferido para a Índia.

O Presidente da Conferência Episcopal da Índia, Cardeal Isaac Cleemis Thottunkal, foi o primeiro a reagir sobre a notícia: “Estamos felizes e agradecemos a todos aqueles que trabalharam no processo de libertação de Pe. Tom, sobretudo o Governo da Índia, de Kerala, e todas as pessoas de boa vontade que rezaram pela salvação e a libertação do sacerdote.”