Rádio Conexão Católica

Milhares de espécies em via de extinção, alerta encontro no Vaticano

O Vaticano lançou um SOS para o risco de extinção de milhares de espécies vegetais e animais. E busca uma solução para enfrentar o problema.

Neste sentido, especialistas estiveram reunidos para debater o tema na Casina Pio IV, no Vaticano, de 27 de fevereiro à 1º de março, numa promoção conjunta entre a Pontifícia Academia das Ciências e a Pontifícia Academia das Ciências Sociais.

“Os participantes concluíram – explica a declaração final – baseando-se na comparação da documentação fóssil, que a atual perda de espécie é de cerca 100 vezes a taxa histórica”.

O encontro concluiu-se “no espírito das palavras eloquentes do Papa Francisco na sua Encíclica Laudato Si, decidido a buscar novas formas de trabalhar juntos para construir um mundo sustentável, estável, baseado na justiça social”.

“Atualmente – alerta o texto – estariam em perigo de extinção um quarto de todas as espécies e a metade delas poderia extinguir-se até o final deste século. Como dependemos dos organismos vivos para o funcionamento de nosso planeta, o alimento, muitos de nossos fármacos e outros materiais, para a absorção de rejeitos e para o equilíbrio do clima – sem falar na grande parte da beleza deste mundo – tais perdas causarão danos incalculáveis para o nosso futuro, a menos que não sejam colocadas sob controle”.

“Temos conhecimento somente da existência de menos de um quinto das espécies que estimamos, povoam o mundo, recordamos especialistas. Estamos por isto desperdiçando um potencial desconhecido e colocando em perigo os mecanismos fundamentais do nosso problema”.

“Colocar fim à pobreza custaria cerca de 175 bilhões, ou seja, menos de 1% da soma das entradas dos países mais ricos do mundo e é uma das principais maneiras para proteger o nosso ambiente e salvar a maior biodiversidade possível para o futuro. Isto pode ser realizado região por região – sublinha o documento final”.

“A criação de grandes reservas naturais marinhas é outro elemento importante para a preservação da produtividade biológica global. Para realizar isto, devemos seguir os princípios morais claramente descritos na Encíclica ‘Laudato Si’, que inspirou o nosso encontro”.