Mirandola: o encontro do Papa com as vítimas do sismo

Antes de regressar ao Vaticano, o último compromisso do Papa na região italiana Emilia-Romagna foi com os moradores de Mirandola, outro município afetado pelo sismo de maio de 2012.

Diante da Catedral que ficou parcialmente destruída, “sob os sinais visíveis de uma provação tão dura”, Francisco recordou a visita de seu predecessor, Bento XVI, logo depois do terremoto para levar solidariedade e o seu encorajamento pessoal a toda a comunidade eclesial. “E hoje eu estou aqui entre vocês para confirmar o afeto de toda a Igreja e para testemunhar a cada um a minha proximidade e o meu encorajamento pelo caminho que ainda resta por fazer na reconstrução.”

O Papa disse estar consciente dos danos que o tremor provocou no patrimônio humano e cultural da região. “Mas penso sobretudo nas feridas interiores: o sofrimento de quem perdeu seus entes e de quem viu os sacrifícios de toda uma vida se perderem”, disse o Pontífice, louvando o espírito batalhador da população.

“As feridas foram sanadas, mas ficaram e ficarão para sempre as cicatrizes”, afirmou o Papa, encorajando a população a crescer os filhos “na coragem, dignidade e fortaleza que tiveram no momento das feridas”.

“Os meus votos são de que jamais faltem força de ânimo, esperança e as dotes de laboriosidade, que é uma característica de vocês. Permaneça firme a intenção de não ceder ao desencorajamento diante das dificuldades”, acrescentou Francisco, pedindo um esforço a mais para reconstruir o centro histórico da cidade.

O último pensamento do Pontífice foi dedicado às vítimas do sismo: “Diante da Catedral, símbolo da fé e da tradição deste território e gravemente danificado pelo terremoto, elevo com vocês ao Senhor uma fervorosa oração pelas vítimas do sismo, pelos seus familiares e por aqueles que ainda vivem em situação precária”.

Sobre o altar da Catedral, disse ainda o Papa, “depositei flores em memória de quem nos deixou no terremoto”.

E concluiu: “Daqui duas semanas celebraremos a Páscoa da Ressurreição. Que a força do Senhor ressuscitado ampere o seu empenho em completar a reconstrução e anime sua esperança”.

Depois do discurso, o Papa saudou alguns moradores de Mirandola.