Na festa da Misericórdia, Paróquia São João Batista de Itapetininga arrecada 500kg de alimentos

Neste último domingo, a Igreja celebrou a Festa da Misericórdia, que foi instituída pelo Papa São João Paulo II em abril de 2000, para ser realizada no primeiro domingo após a Páscoa. Essa devoção teve início na década de 30, com a santa polonesa Faustina Kowalska. Por meio de uma visão, Santa Faustina recebeu de Cristo um pedido: ela deveria pintar um retrato d’Ele para ser abençoado e desde então surgiu essa grande devoção.

Devido às medidas restritivas para o combate à pandemia, onde estão suspensas as celebrações eucarísticas com a presença de fiéis, as Paróquias de nossa Diocese, em obediência ao decreto diocesano, celebraram a Festa da Divina Misericórdia através dos canais digitais.

Pensando nesta profunda misericórdia que Deus quer oferecer a todos, sem excluir ninguém, a Paróquia São João Batista de Itapetininga, realizou neste Domingo (11), uma campanha para arrecadação de alimentos que serão destinados as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade.

fiéis ofertaram seus alimentos na manhã deste domingo (11).

A ação solidária teve início quando Pe. Leonardo Mendes Soncin, Pároco, usou das redes sociais para convidar todos os fiéis, para que na manhã do dia da Festa da Misericórdia, fossem até a Paróquia  para realizar  a sua oração pessoal e também como um gesto concreto, levar um quilo  de alimento e depositar em uma das cadeiras da Igreja Matriz,  e assim retornarem para suas casas para participarem da celebração  da Santa Missa que aconteceu ás 10h de forma on-line.

Os fiéis atenderam o pedido do Padre e cerca de 500 quilos de alimentos foram arrecadados. ” Uma das obras de misericórdia é dar de comer a quem tem fome”, comenta Padre Leonardo. “Deus abençoe e ilumine muitíssimo a todos. Não me canso de dizer: o Padre ama a comunidade São João e o rebanho que o Senhor me deu”, conclui agradecendo todos os seus paroquianos.

Assim é a misericórdia divina, um movimento de compaixão, oração e caridade.

 

 

Samuel Medeiros