Rádio Conexão Católica

NIVALDO BIANCHIN SERÁ ORDENADO DIÁCONO NESTA QUINTA-FEIRA (4) EM SÃO MIGUEL ARCANJO

Será realizado nesta quinta-feira (4), na Paróquia e Santuário São Miguel Arcanjo na cidade de São Miguel Arcanjo a Ordenação Diaconal Permanente de Nivaldo Bianchin. A celebração será às 19h30.

A Missa Solene de Ordenação será presidida pelo nosso Bispo Diocesano, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto.

Nivaldo Bianchin nasceu em 13 de novembro de 1961, é casado com Elza Maria de Queiroz Bianchin e pai de três filhos: Felipe, Fabrício e Rafaela.

Estudou na Escola Diaconal Santo Estevão no Seminário Diocesano São João Paulo II em Itapetininga e desde 2008 exerce a função de ministro da Palavra, Comunhão e Exéquias. Nivaldo também é coordenador da Comunidade Nossa Senhora Aparecida no Bairro Gramadão.

 

Diácono Permanente

A ordem do diaconato, segundo o Catecismo da Igreja Católica (n. 1554), destina-se a ajudar e a servir os Bispos e Presbíteros. A doutrina católica estabelece que o grau de diaconato é um grau de serviço, estabelecido desde a época dos apóstolos.

Os Diáconos participam de modo especial na missão e na graça de Cristo. O Sacramento da Ordem marca-os com um selo (‘caráter’) que ninguém pode fazer desaparecer e que os configura com Cristo, que se fez ‘Diácono’, isto é, o servo de todos. O Diácono oferece à Igreja a possibilidade de contar com uma pessoa de grande ajuda para as tarefas pastorais e ministeriais.

Um Diácono pode batizar, abençoar matrimônios, assistir os enfermos com o viático, celebrar a Liturgia da Palavra, pregar, evangelizar e catequizar. Porém, não pode, ao contrário do Sacerdote, celebrar o Sacramento da Eucaristia (Missa), confessar nem administrar a unção dos enfermos.

Enquanto os sacerdotes ordenados são geralmente escolhidos entre homens que vivem como celibatários, ou seja, que não se casam e que têm o propósito de guardar o celibato pelo Reino dos Céus, os Diáconos podem se casar. O Diaconato Permanente é um enriquecimento importante para a missão da Igreja.

Dessa forma, os homens casados que se dedicam a ajudar a Igreja por meio da vida litúrgica, pastoral ou nas obras sociais e caritativas podem se fortalecer recebendo a ordem do diaconato, unindo-se mais intimamente ao altar, para cumprir seu ministério com maior eficácia, por meio da graça sacramental do diaconato.