Rádio Conexão Católica

PAPA AOS JOGADORES DO MILAN E JUVENTUS: SEJAM CAMPEÕES NA VIDA

O Papa recebeu no final desta manhã de sexta-feira, (20/5), na Sala Clementina, os Dirigentes da Liga Nacional Profissional de Primeira Divisão italiana e os jogadores de futebol da Juventus e do Milan.

Ao cumprimentar os jogadores, que vieram a Roma para a final da Copa Itália sábado, (21/5), no Estádio Olímpico, o Papa disse:

“A sua presença aqui me oferece a oportunidade de expressar o meu apreço pelas capacidades profissionais e as belas tradições que distinguem as suas sociedades esportivas e o ambiente do futebol em geral. Penso aos tantos torcedores, especialmente jovens, que os seguem com simpatia. Portanto, vocês são convidados a manifestar suas qualidades humanas de atletas, que testemunham os autênticos valores do esporte”.

Virtudes humanas

O sucesso de um time, explicou Francisco, é resultado de uma multiplicidade de virtudes humanas: harmonia, lealdade, capacidade de amizade e de diálogo, solidariedade. Trata-se de valores espirituais que se tornam valores esportivos.

Exercendo estas qualidades morais, os jogadores fazem ressaltar ainda mais a verdadeira finalidade do mundo do esporte, marcado, às vezes, por fenômenos negativos. E o Papa acrescentou:

“Trata-se simplesmente de demonstrar que cada um de vocês, antes de ser jogadores, é pessoa, com suas qualidades e limitações. Mas, sobretudo, com sua consciência que, espero, seja sempre iluminada também pela relação com Deus. Logo, que nunca falte entre vocês o sentido de fraternidade, o respeito mútuo, a compreensão e o perdão”.

Mensagem positiva

Ao concluir sua saudação aos jogadores italianos, o Pontífice recordou que “o homem deve estar sempre em harmonia com o atleta” e lhes deixou sua exortação final:

“Sejam campeões no esporte, mas, sobretudo, campeões na vida! Ressaltem sempre o que há de verdadeiramente bom e belo mediante o testemunho dos valores que devem caracterizar o autêntico esporte. Não tenham medo de fazer conhecer, com serenidade e equilíbrio, aos seus tantos admiradores os princípios morais e religiosos, que inspiram as suas vidas”.

Neste sentido, Francisco reconheceu os esforços que a Liga da Primeira Divisão tem feito para que o futebol possa constituir uma mensagem positiva para toda a sociedade.