Rádio Conexão Católica

PAPA AOS VOLUNTÁRIOS CRISTÃOS: OS POBRES NÃO SEJAM OCASIÃO DE LUCRO

Hoje é o Dia Internacional do Voluntário. Assinalando por antecipação esta data o Papa Francisco recebeu em audiência na Sala Paulo VI ontem quinta-feira dia 4, cerca de dois mil membros da Federação dos Organismos Cristãos de Voluntariado (Focsiv).

Há muita necessidade de testemunhar o valor da gratuidade”, disse o Papa no seu discurso aos voluntários, recordando que os pobres não se podem tornar numa ocasião de lucro. Para o Santo Padre, as pobrezas hoje mudam de aspeto, com os pobres que reivindicam o protagonismo do seu futuro. Eis então que os voluntários são chamados a captar esses sinais dos tempos, trabalhando ao serviço desse protagonismo através da solidariedade. E essa mesma solidariedade leva a lutar contra as causas estruturais da pobreza: a desigualdade, a falta de emprego e de casa, e a negação dos direitos.

“Há tanta necessidade de testemunhar o valor da gratuidade: os pobres não podem tornar-se numa ocasião de lucro! As pobrezas hoje mudam de rosto – há novas pobrezas! – e também alguns entre os pobres amadurecem expectativas diferentes: aspiram a ser protagonistas, organizam-se a ser protagonistas, organizam-se e sobretudo praticam aquela solidariedade que existe entre aqueles que sofrem entre os últimos.”

O Papa Francisco mencionou o sistema económico que saqueia a natureza provocando a desflorestação, as catástrofes ambientais e a perda da biodiversidade, recordando que a criação não é propriedade de poucos, mas “dom maravilhoso de Deus”. O Santo Padre referiu-se ainda aos refugiados dos horrores das guerras e dos movimentos migratórios que precisam de adequadas modalidades de acolhimento:

“ Quanta gente no mundo foge dos horrores da guerra! Quantas pessoas são perseguidas por motivo da sua fé, obrigadas a abandonar as suas casas, os seus lugares de culto, as suas terras, os seus afetos! Quantas vidas cortadas! Quanto sofrimento, quanta destruição! Perante tudo isto, o discípulo de Cristo não se chega para trás, não vira a cara para o outro lado, mas tenta ajudar esta humanidade sofrida, com proximidade e acolhimento evangélico.”

“ Os movimentos migratórios solicitam adequadas modalidades de acolhimento que não deixem os migrantes dependentes do mar e de bandos de traficantes sem escrúpulos entre os Estados, para regular e gerir eficazmente tais fenómenos.”

No final da sua intervenção o Papa Francisco encorajou os membros da Federação dos Organismos Cristãos de Voluntariado (Focsiv) a prosseguirem com alegria neste caminho de fidelidade ao homem e a Deus, colocando sempre no centro a pessoa de Jesus. O Santo Padre recomendou ainda a oração diária como um auxílio precioso para o serviço dos voluntários que poderá ser para eles a sua força nos momentos mais difíceis, de desilusão, de solidão e de incompreensão”.

 

Fonte: Rádio Vaticano