Rádio Conexão Católica

PAPA REZA AVE MARIA PELOS DOENTES DE EBOLA

No final da Audiência Geral desta quarta-feira, o Santo Padre saudou os fiéis reunidos na Praça de São Pedro em diferentes idiomas. Em particular, o Santo Padre dirigiu um pensamento “aos países da África que sofrem por causa do surto de ebola”. “Sinto-me próximo das pessoas atingidas por esta terrível doença – disse -. “Convido-vos a rezar por elas e por quantos perderam a vida tragicamente assim. Desejo que não falte a ajuda da Comunidade Internacional para aliviar o sofrimento desses nossos irmãos e irmãs. Por estes nossos irmãos e irmãs doentes, rezemos à Nossa Senhora. Ave Maria…”.

Falando aos peregrinos de língua árabe, em particular os da Jordânia e Oriente Médio, o Santo Padre destacou que “o testemunho de Cristo resulta, em alguns lugares, difícil e perigoso, e pode custar, em alguns momentos, até mesmo a vida”. No entanto, ele garantiu: “se vivermos com fidelidade, com perseverança e fé nAquele que venceu a morte”, isso se transforma em uma “fonte inesgotável de alegria e felicidade”. “Cristo nunca se esquece de seus discípulos fiéis”, afirmou o Papa, encorajando os jovens árabes a serem sempre “testemunhas autênticas de Cristo e da verdade”; “causa de reconciliação e unidade”; “testemunhas de justiça, de paz e de caridade“.

Aos peregrinos poloneses, o Papa reiterou a gratidão “pelo apoio espiritual durante a peregrinação na Albânia”. “Depois de anos de regime ateu, perseguição, o país agora goza de uma convivência pacífica entre os seguidores de diferentes religiões”, observou Francisco, na esperança de que “seja um sinal para outras nações que vivem em estado de guerra para que renunciem ao ódio e, no diálogo mútuo, encontrem o caminho de reconciliação”.

Na saudação em italiano, o Papa Francisco recordou que no último sábado, foi beatificada a Irmã Giovannina Franchi, fundadora das Irmãs enfermeiras de Nossa Senhora das Dores. “O seu exemplo acrescentou  desperta em muitos o desejo de unir uma profunda vida espiritual a um generoso serviço aos doentes, privilegiando os mais pobres.”

Saudou também os Pequenos irmãos de Jesus e os Missionários da Fé, por ocasião dos respectivos Capítulos Gerais; os participantes do curso de formação promovido pelo Centro de animação missionária e membros do Movimento por um mundo melhor.

Por fim, falando aos jovens, aos doentes e aos recém-casados​​, o Papa concluiu: “Ontem celebramos a memória litúrgica de São Lino Papa. Que seu amor pela Igreja, numa época de forte perseguição contra os cristãos, inspire a vida espiritual de cada um: aprendamos a enfrentar com coragem também os momentos de adversidade, crendo que o Senhor nunca deixa de dar o seu apoio e a sua graça para cada um de seus filhos”.

 

Fonte: Zenit