Notícia Destaque Notícias da Diocese

Paróquia Bom Jesus de Alambari será elevada a Santuário Diocesano

A Paróquia Bom Jesus de Alambari, será elevada a Santuário Diocesano. O anúncio foi feito pelo Bispo da Diocese de Itapetininga, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, na última terça-feira (11) durante a reunião de Presbíteros realizado no Seminário Diocesano São João Paulo II. O pedido foi feito pelo Revmo Pe. André Luiz Garcia, Pároco.

Santuário é um título dado pela Igreja a um templo, aonde os fiéis em peregrinação, por algum motivo especial de piedade são atraídos por ser um lugar onde fiéis devotos alcançam graças, transformando-o em um local sagrado da ação poderosa de Deus que recorda na fé a obra salvífica do Senhor. Um dos principais requisitos para uma Paróquia se tornar Santuário é ter peregrinações e romarias de devotos.

Nos Santuários, oferecem-se aos fiéis, meios  de salvação mais abundantes, anunciando com diligência a Palavra de Deus, incentivando adequadamente a vida litúrgica, principalmente com a Eucaristia e a celebração da Penitência, e cultivando as formas aprovadas de piedade popular. (Cân. 1234 do Código de Direito Canônico)

Neste sentido, depois da Catedral Nossa Senhora dos Prazeres de Itapetininga, que é de 1770, e do Santuário Nossa Senhora da Conceição de Tatuí, de 1822,  a Paróquia de Alambari é a mais antiga da Diocese, criada em 1840, ou seja, neste ano, dia 19 de setembro, completa 180 anos de sua criação.

A fé no Bom Jesus nasce a partir de um milagre, quando em 1820, o Major Domingos Afonso, residente em Itapetininga, seguia viagem para Guaratinguetá acompanhado de sua esposa e de seu filho menor de nome Afonso.

Imagem de Bom Jesus de Alambari

Ao atravessar um lajeado, o pequeno Afonso caiu do animal em que viajava, fraturando o crânio e ficando desacordado por muitas horas. Domingos Afonso, e sua esposa comprometeram-se em construir uma capela sob a invocação do Senhor Bom Jesus, se o seu filho recobrasse os sentidos e se restabelecesse da queda que levara. O pequeno Afonso recobrou os sentidos, ficando, logo depois, completamente restabelecido, permitindo assim que caravana prosseguisse. Anos mais tarde, Afonso tornou-se padre.

Em 1830 foi construída a 1ª Capela do Bom Jesus. Em 19 de setembro de 1840 foi elevada a dignidade de Paróquia. Com isto começa o povoamento de Alambari que se tornou um povoado de Itapetininga.

Por dezenas de anos, Alambari recebia centenas de fiéis devotos do Bom Jesus, vindos de diversas cidades da região, que vinham a pé, a cavalo, bicicleta e carros. Mas com o passar dos anos, com a falta de Padre na Paróquia, as romarias foram diminuindo e migrando para Iguape e Pirapora do Bom Jesus que se tornaram Santuários. Porém, tradicionalmente, no mês de agosto, a cidade de Alambari nunca deixou receber romeiros, em números menores, que vem todos os anos agradecer ao Bom Jesus por alguma graça alcançada.

O povo católico de Alambari desde sempre reverenciou o Bom Jesus que se tornou padroeiro da cidade que foi emancipada em 30 de dezembro de 1991. Nos primórdios de sua povoação, o pequeno município teve até o nome de “Alambari do Bom Jesus”.

Com a elevação para “Santuário Bom Jesus de Alambari”, abre-se novas perspectivas não só no campo religioso, mas também no campo social e econômico do município, que poderá entrar para a rota do turismo religioso do Estado de São Paulo, atraindo turistas e melhorando o comércio local.

O Pároco Pe. André Luiz Garcia, convida a todos os católicos da região e autoridades, para participarem ao menos pelas redes sociais do novo Santuário, da Missa solene de elevação da Paróquia e Santuário Bom Jesus de Alambari, que acontecerá no dia 19 de setembro, data dos 180 da criação da Paróquia, ás 19h30. A Missa será presidida pelo Bispo Diocesano Dom Gorgônio e concelebrada por Padres da região.

Deus seja louvado por este grande presente que a cidade de Alambari e a Paróquia Bom Jesus recebe da Diocese de Itapetininga.

Fonte: Pascom Alambari

PALAVRA DO BISPO

Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto

FACEBOOK