Roma: Curso “Exorcismo e oração de libertação” chega a XII edição

Realiza-se desde a segunda-feira (08/05) no Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, em Roma, a XII edição do curso “Exorcismo e oração de libertação”.

O objetivo do ciclo de palestras e mesas-redondas – que se concluirá no próximo sábado – é o de oferecer aos sacerdotes e leigos “instrumentos idôneos de formação sobre um tema às vezes omitido e controverso, ou seja, a prática do exorcismo e da oração de libertação”.

Entre os importantes conferencistas de renome internacional, a presença do Bispo de Frascati, Dom Raffaello Martinelli. A Rádio Vaticano conversou com ele:

“Penso que seja um tipo de serviço que é oferecido para refletirmos juntos, para individuar também maneiras melhores para intervir neste campo”.

RV: Este curso aborda temáticas como o demônio, a oração de libertação, temas ligados ao exorcismo. Por que, na sua opinião, estes assuntos encontram pouco espaço nas pregações?

“Efetivamente, se considera que são temas um pouco caídos em desuso, mesmo em nossa pregação e na nossa catequese, porém, o que também é belo e interessante, é que o Catecismo, quando fala destes temas, como o demônio, o diabo, satanás, sobre os Novíssimos e assim por diante, o faz sempre evidenciando e destacando a obra de Cristo, e portanto, indiretamente, o Catecismo ressalta o quanto é preciosa, bonita, o quanto é poderosa, eficaz, a ação de Cristo em nossas lutas, quando nos preserva ou nos liberta deste poder do diabo, que – sabemos bem – não é que esteja de braços cruzados, mas trabalha. Mas ao mesmo tempo, é Cristo que o vence, Aquele que nos preserva na luta contra este poder que, precisamente, é o diabo. Portanto, é importante sermos também nós capazes, na nossa pregação, em nossas catequeses, de falar sobre isto, mesmo porque diversas pessoas se dirigem a nós, sacerdotes, a nós bispos, pedindo uma ajuda; podemos portanto ressaltar sempre mais e sempre melhor a ação de Deus que, por meio de seu Filho morto e ressuscitado e no poder do Espírito Santo, nos dá realmente uma mão poderosa e nos preserva e nos liberta, justamente, destes poderes”.

RV: É necessário recordar – e isto é feito neste curso – que antes de se chegar ao exorcismo e à oração de libertação – que são meios extraordinários – é necessário utilizar os meios que a Igreja sempre coloca à disposição…

“Por exemplo, a escuta da Palavra de Deus, a oração, a participação a uma vida sacramental mais intensa, mais participada por meio do Sacramento da Confissão, o Sacramento da Eucaristia… Depois, certo, temos também estas orações especiais, tipo o exorcismo, e sem sombra de dúvida que também estas são importantes! Porém, muitas vezes, acontece que pessoas que pedem, quem sabe, uma intervenção especial, esquecem e não praticam os meios ordinários que a nossa fé cristã nos coloca à disposição e que por outro lado, também o Catecismo nos recomenda continuamente”.