Seminarista Renato Félix recebe ministérios de Acólito e Leitor

Nesta segunda-feira, (12), o Seminarista Renato Félix Silva dos Santos, recebeu os Ministérios de Acolitato e Leitorato das mãos do nosso Bispo Diocesano Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto.

A Missa foi realizada às 19h30 no Seminário Diocesano São João Paulo II, sem a presença de fiéis devido as restrições de combate à pandemia. A celebração foi transmitida ao vivo pelas redes sociais do Seminário e da Diocese de Itapetininga.

No final da celebração, Seminarista Renato, agradeceu a confiança do Bispo Dom Gorgônio e do Reitor do Seminário, Padre Marco Antonio Custódio, e também aos Seminaristas, Diáconos, familiares presentes e aos fiéis internautas que acompanharam toda a transmissão.

O Reitor do Seminário Diocesano, também fez uso da palavra e destacou a importância de receber esses ministérios e pediu para que todos rezem pelos nossos seminaristas e pelas vocações.

Esses ministérios são etapas importantes na formação dos candidatos ao sacerdócio, são passos significativos e aprofundados no compromisso com a grandeza da vocação à qual foram chamados. Rezemos para que o Senhor  envie mais operários para a sua messe, pois “a messe é grande, mas pouco são os operários”.

Instituição de leitores e acólitos

Em preparação para o sacerdócio, os seminaristas do 2º e 3º ano de Teologia, recebem os ministérios de leitor e acólito, respectivamente, para melhor se prepararem e exercê-los por um tempo conveniente, antes da Ordenação Presbiteral. O leitor é instituído para o ministério que lhe é próprio, o qual é fazer a leitura da Palavra de Deus na assembléia litúrgica. E assim, tanto na missa como nos outros atos sagrados, é ele quem profere as leituras da Sagrada Escritura, exceto o Evangelho.

O acólito é instituído para cuidar do altar e auxiliar o Diácono e o Sacerdote nas ações litúrgicas, sobretudo na celebração da Missa. Pertence-lhe ainda, como ministro extraordinário, distribuir a Sagrada Comunhão. Além disso, em circunstâncias extraordinárias, pode ser encarregado de expor e repor a Sagrada Eucaristia para adoração pública dos fiéis, mas não de dar a bênção com o Santíssimo Sacramento.