SEXTA-FEIRA SANTA: NA MORTE DE JESUS SOMOS CONVIDADOS A MORRER PARA OS PECADOS E VOLTAR A VIVER PARA O SENHOR

O sacrário vazio e a mesa do altar nua e sentados à direita do presbitério, Dom Gorgônio junto ao Pároco Pe. Reinaldo Machado Ramos e seus auxiliares, todos de vermelho, a cor do sangue do sacrifício dos Mártires. Sem a benção inicial, o segundo dia do Tríduo iniciou nesta sexta-feira, às 15 horas, com a Adoração à Cruz de Nosso Senhor, na Catedral Nossa Senhora dos Prazeres, em Itapetininga.

As leituras e o Evangelho narraram a Paixão e Morte de Jesus Cristo e contaram com a participação dos fieis. Narrado pelo Diácono e os auxiliares, na leitura, o Bispo interpretou as falas de Jesus. No salmo 30 cantado, o refrão “Ó Pai em tuas mãos entrego o meu Espírito”, as últimas palavras de Jesus antes de morrer crucificado.

Imagem_Jesus_Crucificado_Foto_Ariana_Ayres“Esse horário, três horas da tarde, era o mesmo horário em que os sacerdotes sacrificavam o cordeiro pascal. Jesus é o Verdadeiro Cordeiro Pascal”, reforça Dom Gorgônio em sua homilia. Ele explica que, Jesus, ao caminhar para a morte de cruz e sofrer com o desprezo e as humilhações foi glorificado por Deus, por ter sido obediente até o fim. “Nós também desprezamos os empobrecidos e marginalizados, mas Deus está mais perto deles do que de nós”, afirmou.

E continuou dizendo que também somos infieis e rejeitamos o Seu amor, divindade e dignidade, rejeitamos Cristo, mas Ele se fez o último ao morrer ao lado dos ladrões, para expressar que veio ao encontro de todos e ninguém é excluído em Sua misericórdia. Segundo o Bispo, o mistério de Deus é: “por desobediência o homem é expulso do paraíso e, em Jesus, por sua obediência e fidelidade à Deus, é gerada a Vida Eterna para nós”. Ao encerrar sua pregação, Dom Gorgônio convidou os fieis à ter confiança no amor de Deus, a ser fiel ao Senhor e se entregar inteiramente a Ele para obter a Vida Eterna.

Após a comunhão, a cruz com Jesus crucificado entrou pela nave da Igreja e o véu vermelho foi descerrado pelo Bispo e a cruz exposta para o início da adoração.

Veja aqui todas as imagens das celebrações da Sexta-Feira Santa em nossa Galeria de Fotos.

Sermão das Sete Palavras

IMG_0948No altar, a imagem de Jesus Crucificado está novamente coberta pelo véu vermelho, e a celebração é iniciada às 18h30 e presidida pelo Pároco Pe. Reinaldo Machado Ramos. A Igreja está à meia luz, e na penumbra recorda as últimas palavras de Jesus. A cada frase narrada, as carpideiras – três mulheres vestidas de preto que representam também as discípulas do Senhor – apagavam uma das velas do candelabro no presbitério.

Ao término da narração, Jesus é descido da cruz e embebido em perfume e envolto em vestes brancas, em preparação para a Procissão do Senhor Morto. A imagem de Nossa Senhora das Dores foi levada pelo integrantes do Tiro de Guerra.

IMG_1077_William_FurtadoProcissão do Senhor Morto

Levado a caminhar pelas ruas Quintino Bocaiúva, Barbosa Franco, Campos Sales e General Carneiro, o povo é convido a vivenciar também a Via-Crucis – o caminho da Cruz – com Jesus. Nas 15 estações preparadas por famílias de paroquianos, a procissão recordou em cada parada a Paixão de Nosso Senhor. No retorno à Catedral, a imagem de Nosso Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores ficou exposta para os fieis no altar. Presidida pelo Bispo Diocesano, a procissão contou as presenças do Pároco Pe. Reinaldo Machado Ramos e dos Vigários da Catedral, os Padres André Luiz Garcia Correa e Julio Ferreira de Campos.

 

(Fotos: William Furtado)