Viganò: “Linguagem simples e compreensível” faz Papa ser ouvido por todos

“Muitos se perguntam sobre o por quê de o Papa Francisco ser escutado e compreendido pelas multidões, tão diferentes pela cultura, sensibilidade, estrato social, pertença religiosa. A razão é muito simples: usa uma linguagem compreensível a todos”.

É o que escreve no L’Osservatore Romano o Prefeito da Secretaria para a Comunicação do Vaticano, Mons. Dario Viganò, acrescentando que o Pontífice “fala de situações humanas, a vida familiar, as relações de trabalho, de afeto, em que todos nos encontramos”.

Para Viganò, as típicas expressões e imagens usadas pelo Papa Francisco “convidam a qualquer um que esteja na escuta a abrir os ouvidos, porque são imediatamente compreendidas, não excluem ninguém, não requerem um léxico particularmente rico ou sofisticado, não criam separações, não colocam em dificuldade, deixam o espaço e o tempo para que cada um possa levar no próprio coração o que ouviu e reelabore isto segundo o próprio ritmo”.

“O Papa Francisco – observa ainda Mons. Viganò – não coloca prazos, não cria antagonismos, não exprime juízos; antes pelo contrário, mostra paciência, estende a mão, encoraja, indica a meta a ser atingida, fazendo sentir que não estamos abandonados”.

“Esta pedagogia da fé – ressalta o Prefeito da Secretaria para a Comunicação – testemunha uma grande capacidade de escuta, para aprender e respeitar os passos do outro. De outra forma, o centro será sempre eu e o próximo permanecerá na periferia de meu ego”.

(JE/L’Osservatore Romano)